Demandas sociais e ocupação do espaço urbano. O caso de Brasília, DF

(Social demands and urban space occupation. The case of Brasília, Federal District)
Autor(es): Aldo Paviani

Referência Geográfica: Brasília
Ano: 2009
Nº: 21

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: demandas sociais; uso da terra urbana; políticas urbanas; urbanização; Brasília.
Keywords: social demands; urban land use; urban policies; urbanization; Brasília.

Resumo
A cidadania tem apresentado demandas e se manifestado em diversos campos, sobretudo quanto à atuação governamental, lacunosa em setores importantes como saúde pública, desenvolvimento educacional, transportes co-letivos, políticas habitacionais, etc. Ao avaliar a urbanização, profissionais analisam essas demandas em termos de como territórios, com características especiais, são demarcados e apropriados. A demarcação para reservas estratégicas ou para povoamento é efetivada pelos cidadãos, pelos atores públicos e econômicos. Os territórios demarcados para o futuro são vistos, na atualidade, como “vazios” urbanos (terras desocupadas ou vagas) e são objetos da ação dos incorporadores imobiliários, que lucram com terras valorizadas, em prejuízo das populações urbanas excluídas. Ao final, sugerem-se medidas para a democratização do acesso aos bens e serviços socialmente constituídos.

Abstract
Citizenship has made demands and expressed itself in different sectors of our society, mainly regarding the government’s action, as it has been less active in public services such as public health, educational development, public transportation, housing policies, etc. When professionals evaluate urbanization, they analyze these demands in terms of the way in which territories with special characteristics are demarcated and appropriated. Territorial demarcations for strategic reserves or for population are carried out by the citizens, by state agencies, and by economic agencies. Territories demarcated for future use are actually seen as urban “voids” (vacant areas) and are objects of speculation by real estate agencies that aim to profit with valuable areas, to the prejudice of the excluded urban populations. This paper suggests actions that can be taken in favor of the democratization of access to goods and services that were created in favor of the population.