Espaços públicos: novas sociabilidades, novos controles

(Public spaces: new sociabilities, new controls )
Autor(es): Luciana Teixeira de Andrade, Juliana Gonzaga Jayme, Rachel de Castro Almeida

Referência Geográfica: Belo Horizonte
Ano: 2009
Nº: 21

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: espaços públicos; cidades; praças; sociabilidade; segregação socioespacial.
Keywords: public spaces; cities; squares; sociability; social-spatial segregation.

Resumo
A bibliografia que trata das mudanças nos espaços públicos das grandes cidades aponta para o seu declínio e para a caracterização da contemporaneidade como dominada por um individualismo exacerbado que prioriza a vida entre iguais em espaços vigiados e privatizados ou nos chamados espaços semipúblicos, como os shopping centers. No entanto, um olhar mais atento sobre a cidade pode contrariar essas teorias. Este artigo reflete sobre essa discussão a partir de uma pesquisa que abordou as formas de sociabilidade em algumas praças de Belo Horizonte, constatando que há transformações significativas na forma de interagir nos espaços públicos das cidades, por exemplo, uma busca cada vez maior pela convivência entre iguais – o que revela que a segregação socioespacial que se observa na cidade é reproduzida nos seus espaços públicos. Apesar dessas mudanças, porém, percebeu-se que esses espaços ainda possuem grande vitalidade.

Abstract
The bibliography that deals with changes in the public spaces of great cities points to their decline and to the characterization of contemporaneity as dominated by a great individualism that prioritizes life among equals in watched and privatized spaces or in spaces known as semi-public, such as shopping malls. However, a closer look at the city might contradict these theories. This article reflects on this discussion, starting from a survey that approached the sociability forms in some squares in the city of Belo Horizonte, showing that there are significant transformations of the way of interacting in the public spaces of cities; for instance, an increasing search for conviviality among equals – which reveals that the social-spatial segregation that is observed in the city is reproduced in its public spaces. Despite these changes, however, it was observed that these spaces still have great vitality.