Fundamentos da confança: associativismo, instituições político-administrativas e capital social na Região Metropolitana de Porto Alegre

(The foundation of trust: civic engagement, political-administrative institution and social capital in the Metropolitan Region of Porto Alegre)
Autor(es): Marcelo Kunrath Silva, Soraya Vargas Côrtes

Referência Geográfica: Rio Grande do Sul
Ano: 2009
Nº: 21

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: associativismo; instituições; confiança; capital social.
Keywords: civic engagement; institutions; trust; social capital.

Resumo
O objetivo deste artigo é estabelecer um diálogo crítico com a perspectiva atualmente dominante no debate sobre os fundamentos da confiança e do capital social, baseada na obra de Robert Putnam. Nesse sentido, o artigo problematiza o argumento de que a proliferação das organizações sociais seria uma condição necessária e, especialmente, suficiente para a geração de confiança e, por consequência, capital social. Com base nos dados de survey sobre Cultura Política na Região Metropolitana de Porto Alegre, realizado pelo Observatório das Metrópoles, o presente artigo identifica a inexistência de uma relação direta entre envolvimento associativo e níveis de confiança em instituições políticas. Buscando responder a esse aparente paradoxo, sustenta-se a necessidade de incorporar a dimensão político-institucional à análise sobre os fundamentos da confiança, rompendo com uma abordagem exclusivamente centrada no associativismo.

Abstract
This paper critically examines an approach to the foundations of trust and social capital that is inspired by the very influential work of Robert Putnam. It discusses the argument that the spread of civil organizations is a necessary and sufficient condition for building up trust and, as a consequence, social capital. Through the analysis of a survey’s data on Political Culture in the Metropolitan Region of Porto Alegre, the paper identifies the lack of a direct relationship between civic engagement and levels of trust in political institutions. Facing what seems to be a paradox, the paper sustains that to properly understand the foundations of trust, the analysis must take into account the political-institutional dimensions rather than focusing only on civic engagement.