Governança, governo ou gestão: o caminho das ações metropolitanas

(Governance, government or management: the path for metropolitan action)
Autor(es): Peter Kevin Spink, Marco Antonio Carvalho Teixeira, Roberta Clemente

Referência Geográfica: Brasil
Ano: 2009
Nº: 22

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: regiões metropolitanas (Brasil); gestão metropolitana; consórcios intermunicipais; experiências atuais; alternativas de ação.
Keywords: metropolitan management; metropolitan regions (Brazil); inter-municipal consortia; current situation; action alternatives.

Resumo
Este trabalho busca contribuir para o debate sobre uma gestão pública política e socialmente competente e efetiva das metrópoles brasileiras a partir da discussão crítica de possíveis caminhos de ação. Inicia-se com uma discussão sobre os diferentes sentidos da expressão metropolitana existentes no imaginário social. Em seguida, apresenta um breve resumo do processo brasileiro de metropolização e, após, descreve a situação atual a partir de um estudo empírico que envolveu contatos individuais com as principais áreas metropolitanas, análise de documentos e orçamentos estaduais e identificação dos tipos de atividades de gestão encontrados. Finalmente, a partir de observações sobre as possibilidades e limites dos consórcios intermunicipais, busca identificar possíveis opções para o encaminhamento pluralista de ações futuras.

Abstract
This paper seeks to contribute to the debate on a politically and socially competent and effective management of the Brazilian metropolitan areas based on the critical discussion of possible paths for action. It begins with a discussion of the different meanings of the word ‘metropolitan’ that exist in social imagery. Then, it provides an overview of the Brazilian metropoliziation process, and finally, it describes the current situation, using data from a recent empirical study which comprised interviews in the main metropolitan areas, document analysis, as well as budget analysis in order to identify the different kinds of management activities. Finally, after commenting on the possibilities and limits of inter-municipal consortia, the paper identifies possible paths for action within a pluralist perspective.