A globalização como reterritorialização: o reescalonamento da governança urbana na União Europeia

(Globalization as reterritorialisation: the re-scaling of urban governance in the European Union)
Autor(es): Neil Brenner

Referência Geográfica: Europa
Ano: 2010
Nº: 24

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: campo de concentração a céu aberto; prisão-prédio; polícia; abolicionismo penal; gueto.
Keywords: borderless concentration camp; prison-building; police; penal abolitionism; ghetto.

Resumo
Os investimentos em políticas assistenciais que objetivam solucionar o chamado problema da “violência urbana” indicam uma via da configuração das periferias das grandes cidades ou das chamadas cidades globais, como campos de concentração a céu aberto. Este artigo analisa um projeto de aplicação de medidas socioeducativas em meio aberto para os chamados adolescentes infratores como elastificação da prisão-prédio na composição desses campos de concentração em áreas consideradas de risco e/ou habitadas por jovens classificados como em situação de vulnerabilidade social. O conceito sociológico de gueto, colocado por Wacquant, problematizando-o a partir da noção de campo de concentração a céu aberto proposta por Edson Passetti e da análise genealógica de Michel Foucault.

Abstract
The investments in assistential policies that aim to solve the so-called problem of “urban violence” indicate a way of the configuration of the major cities peripheries – or the so-called global cities –, as borderless concentration camps. This article analyses the application program of socio-educative measures in open-space for the so-called adolescent offenders as an “elastification” of the prison-building in the production of these concentration camps in areas considered of risk and/or inhabited by youngsters classified as in situation of social vulnerability. Towards this, the sociological concept of “ghetto”, presented by Wacquant, problematizing it through the notion of “borderless concentration camp” proposed by Edson Passetti and by the genealogical analysis developed by Michel Foucault.