As metrópoles também têm lugares. O caso do bairro de Setúbal Nascente, Portugal

(The metropolises also have places. The case of the Setúbal Nascente neighborhood, Portugal)
Autor(es): Jorge Gonçalves, António Costa, Luís Sanchez Carvalho

Referência Geográfica: Portugal
Ano: 2012
Nº: 28

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: cidade; plano estratégico; bairro social; coesão urbana; integração metropolitana.
Keywords: city; strategic plan; social neighborhood; urban cohesion; metropolitan integration.

Resumo
A abordagem estratégica revela-se essencial como forma de, partindo dos recursos existentes e da dinâmica de atores, conceber cenários credíveis de futuro que, longe de permitir adivinhar o futuro, fornecem instrumentos para a construção de parte significativa desse futuro desejado. Dessa renovada abordagem aos conjuntos de habitação de interesse social em crise na Área Metropolitana de Lisboa resultou um conjunto de medidas inovadoras e consensualizadas. Este artigo visa descrever a experiência do Plano Estratégico de Setúbal Nascente que incidiu num dos mais emblemáticos bairros sociais da Área Metropolitana de Lisboa que optou por uma abordagem metodológica diferenciada, equacionando vários cenários de desenvolvimento e assumindo uma solução que teria de ser a várias escalas – do local ao regional –, fazendo convergir o direito à habitação com o direito à cidade.

Abstract
The strategic approach is essential as a way to, from existing resources and the dynamics of actors, design credible scenarios for the future. These scenarios, far from enabling to divine the future, provide tools to build a significant part of that desired future. This renewed approach to the social neighborhoods that have been in crisis in the Metropolitan Area of Lisbon has produced a number of consensual and innovative measures. This paper aims to describe the experience of the Strategic Plan for Setúbal Nascente (Portugal), which focused on one of the most emblematic social neighborhoods in the Metropolitan Area of Lisbon. The Plan opted for a different methodological approach, equating various development scenarios and assuming a solution that would have to be at different scales – from local to regional –, bringing together the right to housing and the right to the city.