Dinâmicas sociogeográficas e políticas na Área Metropolitana de Lisboa em tempos de crise e de austeridade

(Socio-geographical and political dynamics in the Metropolitan Area of Lisbon in times of crisis and austerity)
Autor(es): João Seixas, Simone Tulumello, Susana Corvelo, Ana Drago

Referência Geográfica: Portugal
Ano: 2015
Nº: 34

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: crise económica; austeridade; geografia da crise; Europa; Portugal.
Keywords: economic crisis; austerity; crisis geography; Europe; Portugal.

Resumo
Este artigo, reconhecendo a relevância das dimensões territoriais e urbanas para uma melhor interpretação da atual crise e seus principais impulsionadores, bem como das suas consequências e reacções sociopolíticas, analisa a evolução recente da Área Metropolitana de Lisboa, perante tempos de crise económica e de políticas de austeridade. O artigo propõe duas conclusões, a merecer estudo adicional com o objectivo de uma sua possível teorização mais alargada: 1) podem distinguir-se fases distintas da crise e uma correlação entre estas, as políticas de austeridade implementadas e a correspondente ampliação dos efeitos da crise nos tecidos socioeconómicos territoriais; 2) verifica-se o aumento de um confronto de natureza estruturante entre políticas top-down de escalas europeia e nacionais e as dinâmicas sociopolíticas de escalas mais locais e mesmo bottom-up, redesenhando-se os quadros geopolíticos territoriais por formas crescentemente distintas e mais complexas; de divergências, aproximações e intersecções de base multi-escalar.

Abstract
This article, acknowledging the relevance of urban and territorial dimensions for the understanding of the current crisis and its main drives, as well as its effects and socio-political reactions, analyses the recent evolution of the Metropolitan Area of Lisbon in times of economic crisis and austerity policies. The conclusions, grounded on the case of Lisbon but deserving further theoretical building and comparative exploration, highlight: 1) the existence of different phases of the crisis and a correlation among these phases, the austerity policies that have been implemented, and the expansion of the crisis effects to the socioeconomic fabrics at the territorial scale; 2) a growing confrontation between top-down policies and bottom-up socio-political dynamics, that is, an increasingly complex and peculiar geopolitical framework made of multi-scalar divergences, convergences and intersections.