Em busca do sentimento da paisagem

(In search of landscape feeling)
Autor(es): Margareth Afeche Pimenta


Ano: 2016
Nº: 37

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: paisagem; sentimento; natureza; Humboldt; Carus.
Keywords: landscape; feeling; nature; Humboldt; Carus.

Resumo
Entre aproximações e distanciamentos, o sentimento da paisagem (stimmung) resulta de um longo debate que coloca em questão a racionalidade definitiva do mundo. A conflitualidade latente entre razão e emoção leva Kant a admitir a possibilidade da apreensão suprassensível da natureza. Sulzer e Herder alinham-se com ressalvas nessa direção, reconhecendo a existência de prazer ou excitação, provocados a partir da interação exterior. Carus, a partir de então, refere-se diretamente ao sentimento da paisagem, apoiado em influências cruzadas de Goethe e Humboldt. Este artigo pretende acompanhar essa trajetória de elaboração conceitual, reconhecendo à pintura a capacidade de suscitar, em Carus, o estímulo para a apreensão sensível do mundo.

Abstract
Between proximities and distances, the landscape feeling (stimmung) is the result of a long debate about the final rationality of the world. The latent conflict between reason and emotion leads Kant to admit the possibility of apprehending nature beyond the sensitive. Sulzer and Herder align with caveats in this direction, recognizing the existence of pleasure or excitement caused by external interaction. Carus, from there, refers directly to the landscape feeling, supported by cross-influences of Goethe and Humboldt. This article intends to follow this path of conceptual elaboration, recognizing that painting has the ability to arouse, in Carus, the stimulus for the sensitive apprehension of the world.