Santarém (PA): um caso de espaço metropolitano sob múltiplas determinações

(Santarém (state of Pará): a case of metropolitan space under multiple determinations)
Autor(es): Taynara do Vale Gomes, Ana Cláudia Duarte Cardoso, Helder Santos Coelho, Kamila Diniz Oliveira

Referência Geográfica: Pará, Santarém
Ano: 2017
Nº: 40

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: urbanização; Amazônia; diversidade socioespacial; Região Metropolitana de Santarém.
Keywords: urbanization, Amazon, socio-spatial diversity, Metropolitan Region of Santarém.

Resumo
A região metropolitana de Santarém ilustra um padrão de metrópole em formação incomum, em que a diversidade socioespacial atende tanto ao perfil hegemônico metropolitano, quanto a origem amazônica ribeirinha. Este artigo expõe as coalizões criadas entre agentes econômicos do capitalismo global, elites locais e forças governamentais e o quanto as novas correlações de forças favorecem os interesses do setor imobiliário e financeiro, em detrimento da população local que historicamente tem sabido manejar seus espaços. As trajetórias das sedes de Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos, quando contrapostas às centenas de assentamentos rurais, reafirmam as limitações da institucionalização oficial dessa região metropolitana, excluindo comunidades tradicionais e beneficiando grandes agentes capitalistas, além de desperdiçar potenciais de inovação em direção ao equilíbrio entre o meio urbano e o natural.

Abstract
The Metropolitan Region of Santarém illustrates an unusual metropolization pattern in which socio-spatial diversity satisfies both the metropolitan hegemonic profile and the Amazonian riverside origin. This article approaches coalitions created among economic agents of global capitalism, local elites and the public sector, and how the new correlation of forces favors the interests of the real estate and financial sectors, to the detriment of the local population, which, historically, has been wise in the management of their spaces. The trajectory of Santarém’s, Belterra’s, and Mojuí dos Campos’ municipality seats, when opposed to hundreds of rural settlements, reaffirms the limitations of the official institutionalization of this metropolitan region, excluding traditional communities and benefitting large capitalist agents, wasting innovative potentials that head towards a balance between the urban and the natural environment.