Desigualdades habitacionais no “repovoamento” do centro expandido do município de São Paulo

(Housing inequalities in the “repopulation” of the expanded downtown area of the municipality of São Paulo)
Autor(es): Anderson Kazuo Nakano

Referência Geográfica: São Paulo
Ano: 2018
Nº: 41

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: desigualdade habitacional; repovoamento; centro expandido; São Paulo.
Keywords: housing inequality; repopulation; expanded downtown area; São Paulo.

Resumo
O presente artigo discute o tão almejado “repovoamento” do centro expandido do município de São Paulo, ocorrido entre os anos 2000 e 2010 e impulsionado pela lógica mercantil vigente na urbanização capitalista. Analisa os dados relativos à produção imobiliária voltada para compradores de média e alta renda em detrimento das demandas da população de baixa renda. Esta última se insere nas tendências de “repovoamento” buscando acessar moradias em cômodos, cortiços e assentamentos precários. Ademais, o artigo mostra que, a despeito do “repovoamento” e da inversão demográfica ocorrida no centro expandido paulistano, houve a persistência do crescimento populacional na periferia, embora em ritmo lento, mantendo os níveis de desigualdades de renda domiciliar que marcam o modelo centro-periferia.

Abstract
This article discusses the long-awaited "repopulation" of the expanded downtown area of the municipality of São Paulo, which occurred between the years 2000 and 2010, driven by the mercantile logic of the capitalist urbanization. It analyzes data on real estate production aimed at medium- and high-income buyers at the expense of the demands of the low-income population. The latter is inserted in "repopulation" trends, seeking to access dwellings in slums and precarious settlements. In addition, the article shows that, in spite of the "repopulation" and demographic inversion that took place in the expanded downtown area of São Paulo, the population continued to grow in the periphery, albeit at a slow pace, maintaining the levels of household income inequalities that mark the center-periphery model.