Arranjos domésticos e estrutura urbana na Região Metropolitana de São Paulo (2010)

(Household arrangements and urban structure in the Metropolitan Region of São Paulo (2010))
Autor(es): Pier Francesco De Maria, Luiz Antonio Chaves de Farias

Referência Geográfica: São Paulo
Ano: 2019
Nº: 44

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: Região Metropolitana de São Paulo; estrutura urbana; arranjo doméstico
Keywords: Metropolitan Region of São Paulo; urban structure; household arrangement

Resumo
Os anos 1960 e 1970 trouxeram mudanças nas estruturas espacial urbana e familiar, principalmente nos países desenvolvidos, com alterações nas macroestruturas de trabalho e residência e com o surgimento de novos arranjos domiciliares. Relacionar a família e a (re)estruturação do espaço urbano, em vista da reprodução material dos indivíduos que a compõem, é o objetivo deste trabalho. Analisamos a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), onde os arranjos urbanos e domiciliares são mais complexos e diversificados. Construímos uma tipologia que traduziu a estrutura do espaço urbano em função do mercado de trabalho e das áreas residenciais. Posteriormente, sobrepusemos a distribuição dos arranjos domiciliares e da vulnerabilidade social. Utilizando o Censo de 2010, analisamos as relações das diferentes variáveis para as áreas de ponderação.

Abstract
The 1960s and 1970s brought changes to urban and family spatial structures, especially in developed countries, with transformations in work and residence macrostructures and emergence of new household arrangements. This paper aims to relate families to the (re) structuring of the urban space, considering the material reproduction of its individuals. We analyze the Metropolitan Region of São Paulo, where the urban and household arrangements are more complex and diversified. We constructed a typology that translated the structure of the urban space according to the labor market and residential areas. Then, we superimposed on it the distribution of household arrangements and social vulnerability. Using the 2010 Census, we analyzed the relationships of different variables for the weighting areas.