A construção social de um sistema de mobilidade inteligente: mapeando controvérsias no caso do Swisspass

(The social construction of a smart mobility system: mapping controversies in the case of SwissPass)
Autor(es): Marcela de Moraes Batista Simão, Rodrigo José Firmino


Ano: 2019
Nº: 44

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: mapeamento de controvérsias; construção social das tecnologias; SwissPass; mobilidade inteligente; disputas de poder
Keywords: controversy mapping; social construction of technologies; SwissPass; smart mobility; power disputes

Resumo
A ideia prevalente de cidades inteligentes pressupõe o uso de tecnologias digitais para uma gestão supostamente mais eficiente das dinâmicas urbanas. Há uma necessidade científica de se conhecer tais processos, a partir das ciências sociais. Dentre os vários setores da gestão urbana, o de mobilidade é um dos mais sensíveis a mudanças tecnológicas. O principal objetivo deste artigo é desconstruir historicamente o projeto SwissPass, e compreender suas nuanças sociotécnicas por meio da identificação de grupos sociais e interesses, bem como pelo mapeamento das controvérsias envolvidas na implementação desse sistema de mobilidade inteligente na Suíça. Os resultados indicam disputas de poder e um domínio do processo por grandes empresas estatais de transporte, além da dissipação das controvérsias por estratégias de convencimento concentradas em seu suposto papel inovador.

Abstract
The prevalent idea of smart cities presupposes the use of digital technologies for an alleged more efficient management of urban dynamics and systems. There is a scientific need to know more about such processes in the social sciences. Among the various sectors of urban management, mobility is one of the most sensitive to technological changes. The aim of this article is to historically deconstruct the SwissPass project and to understand its sociotechnical nuances through the identification of social groups and interests, as well as through the mapping of controversies involved in the implementation of this smart mobility system in Switzerland. The results indicate power disputes, dominance of the process by large, state-run transport companies, and dissipation of the controversies by persuasion strategies focusing on its alleged innovative role.