Proximidade espacial versus distância social: examinando as articulações entre grupos socialmente distantes em três bairros populares de Salvador, Brasil

(Spatial proximity versus social distance: examining the articulations between socially distant groups in three shantytowns of Salvador, Brazil)
Autor(es): Stephan Treuke

Referência Geográfica: Salvador
Ano: 2019
Nº: 45

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: efeito-território; segregação residencial; segmentação social; pobreza urbana; estigmatização territorial
Keywords: Neighborhood effects; residential segregation; social segmentation; urban poverty; territorial stigmatization

Resumo
Neste artigo, propõe-se indagar se existem maiores oportunidades de integração socioeconômica da população dos bairros populares Calabar, Vale das Pedrinhas e Bate Facho (Salvador, BA), dada sua inserção em uma região habitada pelas classes média e alta. Examinando o efeito-território nas dimensões material, social e simbólica, à base de entrevistas semiestruturadas, destacam-se quatro fatores que caracterizam essas configurações urbanas: as oportunidades empregatícias tendo em vista a demanda dos moradores dos condomínios por serviços pessoais; o acesso segmentado aos serviços urbanos; a evitação social excetuando- -se os vínculos empregatícios; a estigmatização territorial. Concluindo, a variabilidade entre os locais concernentes à integração socioeconômica do indivíduo atrela-se à capacidade de os espaços compartilhados viabilizarem trocas mercantilistas e à interferência da criminalidade na organização social do bairro.

Abstract
In this article, we aim to investigate whether the embeddedness of the shantytowns Calabar, Vale das Pedrinhas and Bate Facho (city of Salvador, State of Bahia) in a middle- and upper-class region fosters their populations’ socioeconomic integration. Assessing neighborhood effects on the material, social and symbolic dimensions based on semi-structured interviews, we highlight four factors that characterize these urban configurations: employment opportunities arising from the gated community dwellers’ demand for personal services; segmented access to urban services; social avoidance, except for employment relationships; and territorial stigmatization. We conclude that the variability found among the places regarding the individual’s socioeconomic integration is related to the public spaces’ capacity for enabling commercial exchanges and to the impact of criminality on the neighborhoods’ social organization.