A comunidade boliviana em São Paulo: de? nindo padrões de territorialidade

(The Bolivian community in São Paulo: de? ning territoriality patterns)
Autor(es): Renato Cymbalista, Iara Rolnik Xavier

Referência Geográfica: São Paulo
Ano: 2007
Nº: 17

PDF Clique aqui para baixar este artigo


Palavras-chave: inserção territorial urbana; bolivianos em São Paulo; políticas públicas; enclave étnico; gueto; banlieue; migração internacional.
Keywords: urban territorial insertion; Bolivians in São Paulo; public policies; ethnic enclave; ghetto; banlieue; international migration.

Resumo
O texto investiga a inserção territorial da maior comunidade de imigrantes recentes na cidade de São Paulo, os bolivianos, a maior parte dos quais trabalha nas oficinas de costura que fazem as roupas do dinâmico setor têxtil da cidade. Reconhece que os territórios dos bolivianos não correspondem a nenhuma das categorias internacionalmente reconhecidas como as mais recorrentes territorialidades associadas às minorias étnicas: o gueto, o enclave étnico, a banlieue. O trabalho verifica a hipertrofia do espaço de trabalho de grande parte da comunidade, a oficina de costura, que é também espaço de moradia, e como contraponto, ocorre um enfraquecimento da presença da comunidade no espaço público.

Abstract
This text focuses on the territorial dimension of the biggest community of recent immigrants in the city of São Paulo, the Bolivians, most of them working in the sweatshops that sew the clothes of the city’s dynamic textile sector. It recognizes that the territories of the Bolivians do not correspond to any of the most common spaces used by the literature to explain the insertion of minorities in the cities: the ghetto, the ethnic enclave, the banlieue. The text identifies a hypertrophy of the working space of a big share of this community, the sweatshop, which is also a dwelling space. As a counterpoint, a weakening of the presence of this community in the city’s open spaces occurs.